Domingo, 9 de Janeiro de 2011

Radical Obsession 8


No final da actuação, que demorou mais do que estava-se a prever porque o pessoal queria ouvir mais músicas deles e eles lá lhes fizeram o favor de cantar mais umas poucas. Jade, assim que a banda desapareceu do palco e refugiava-se no fundo e o dj voltava a meter a música, quando o pessoal voltava a dançar com quem estivesse ao seu lado, Jade foi a correr com as amigas até lá atrás, onde a banda estava super contente por terem conseguido conquistar muita gente. Não esperavam que fizessem muito sucesso. Jade estava radiante porque no inicio ainda tinha duvidado deles mas agora nem sequer estava arrependida do os ter contratado. Estava radiante! E além disso já estava a imaginar um futuro para eles. Só tinha que falar com uns conhecidos e eles poderiam conquistar a fama que quisessem. E Jade ia ajuda-los. Por uma razão em especial.

Estes estavam malucos de tanta felicidade, era uma grande alegria que de tanto trabalho a ensaiar nas garagens, noitadas a tocar e tocar, tivesse uma recepção daquelas.

A Jade, a primeira coisa que fez, assim que chegou junto deles, depois de ignorar Tom e Georg, foi atirasse aos braços de Gustav e espetar-lhe um beijo em cheio nos lábios confusos deste. Agiu desse modo devido ao efeito de algum álcool e de uma satisfação pessoal, e porque achava que não se ia arrepender do que fosse fazer. Mas Gustav não resistiu e rodou-lhe a delgada cintura e puxou a mais para si, prolongando o beijo. Tom e Georg olharam no de boca aberta sem acreditar no que estavam a ver. Não podia ser possível, aquilo. Trocaram um olhar mútuo. E não foram os únicos, Mary e Natcaha olhavam chocadas para Jade como se esta estivesse a assassinar um par de sapatos. Bill sorriu.

O beijo terminou e Jade estava até um pouco atordoada com o beijo. E que beijo. Começou a abanar a mão a frente do rosto que começava a ficar demasiado corado por baixo de toda a base que tinha no rosto. Mas não se afastara o olhar do Gustav que tentava controlar a respiração.

- Uauuu… - acabou por dizer Jade. Queria falar com espectáculo e acabou por falar no beijo – Uau! – voltou a repetir. Afinal não se enganava quanto ao potencial do novo amiguinho.

Tom e Georg não apresentavam um ar satisfeito, muito pelo contrário. Apresentavam um ar carrancudo.

- Dispensamos pormenores! – disse Tom, todo lixado da vida. O seu ego estava ferido. Com um pessoa daquelas, disponível à sua frente, ela foi-se interessar por Gustav? Seria possível? Georg não estava melhor. Bem, mas havia outras sereias na costa e eles iam à procura delas. Tom, arrumando as suas coisas, ajeitando o casaco, e a fita na cabeça, e com sorriso sacana estava pronto para atacar. Georg foi atrás dele, o DJ já tinha colocado musica a bombear novamente e ambos já tinham companhia de um ruiva para Georg e de uma loira para Tom.

Jade puxou Gustav – Ursinho, estou aborrecida! Anda dançar…! Pode ser? – pediu meiga com olhar sedutor que deixou Gustav sem palavras que apenas acenou, com ar de maluco apaixonado. Seguiram os dois para juntar aos outros pares que dançavam perto da piscina e estavam bem agarradinhos. Por muito que a musica fosse bem mexida, estavam agarrados como duas lapas, aos beijos.

Nancy fora buscar mais duas bebidas e sentava-se nos puffs, com o cuidado todo para não entornar, e olhava para a festa bebericando uma das bebidas até que quando viu Jade com Gustav engasgou-se e virou alguma da bebida no seu curto vestido prateado.

Paris que estava entretida a olhar para as velas na piscina foi a socorro da amiga batendo-lhe nas costa.

- Nancy estás bem? – tirando lhe as bebidas das mãos quando esta continuava a tossir. Quando parou, meia rouca olhou para Paris chocada. Paris olhou e viu a irmão a comer Gustav, só faltava mesmo tirarem a roupa e fazerem no ali no meio daquele pessoal todo. Porque pouco faltava.

- O M G literalmente! A tua irmã está a comer o rapaz do talho! – Paris olhou sem perceber qual era o drama – O ajudante do talhante Paris? A tua irmã?

- Não pode…?

- Estás a brincar comigo? A tua irmã mal chega perto de rapazes que sejam donos de uma loja de cds… Quanto mais de um talho…

Paris sorriu – Ela deve já ter bebido uns copos a mais… E deve ver como baterista da banda…

- Pois… - voltando a pegar na bebida. As horas foram passando, Nancy e Paris levantaram se. Estava na hora de saírem dali, Tyler ia buscá-las daí a dez minutos. Agarrando nas malas e nos casacos, estavam prontas para sair. Já não viam a irmã em lado nenhum, e Paris procurou Bill mas também não o viu – Estás a procura de alguma coisa, Paris? – perguntou Nancy quando pegava no telemóvel e viu as mensagens.

- Da minha irmã…

- A esta hora deve estar a pegar na carne do talho…

- Ok! – disse e soube mesmo que Nancy não tivesse a falar que Jade deviam estar mesmo a fazer isso. E estremeceu só de pensar – Medo!

Tyler chegou e elas assim que chegar ao carro as portas foram abertas, e o som que saia do carro podia muito bem competir com a música da festa. Assim que as portas fecharam com elas lá dentro, o carro arrancou a toda velocidade para a ponte.

S.Mille às 22:59
| comentar | (1)

novas fic's e re-edições
ACTUAL:

 

free counters