Quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

Radical Obsession 6


Sábado de manha. Paris acordou com carrinhas, e mais carrinhas a andarem pelo jardim, por todo o lado. Estranhou, quem é que poderia estar no jardim, as tantas da manha. Olhou e viu oito horas marcadas no relógio digital. Suspirou. Ninguém no perfeito juízo acordava as oito da manha de um sábado! Tapou a cara com a almofada mas eram portas a bater eram carrinhas a andar de um lado para o outro, eram gritos humanos que ecoavam pelo jardim entrando pelas janelas abertas. Paris não suportava aqueles barulhos. Passara apenas duas horas a dormir, porque depois da corrida, Nancy e ela foram para a discoteca onde estiveram a dançar até as quatro da manha, e quando chegara a casa, ela não conseguia adormecer, só adormeceu quando o sol começou a nascer. Agora fora acordada quando planeava dormir até as seis da tarde.

Lá fora Jade com as mãos na cintura, andava atrás dos trabalhadores, com as amigas também a andar de um lado para o outro, mas ela era a que mais gritava.

– Onde pensa que esta a colocar o palco para a banda, aí?? Eu quero ao lado da piscina...!! – virou-se para outro empregado que carregava as mesas redondas -  Quero as mesas naquele lado, e espalhadas pelo jardim! – olhou para Mary, que estava com o bloco - A piscina é para ter velas, lá dentro, anota aí Mary, para não esquecermos … Os puffs eram roxos e não amarelos... – olhando para aquilo que os empregados carregavam, avançando para eles chocada e pegando num - Onde está o vosso patrão??? Eu pedi expressamente roxos! Onde esta o papel… - Mary afastou um pouco Jade.

- Calma, rapariga, estás daqui a pouco a entrar em stress para nada… Respirra fundo – ordenou e Jade olhou para ela e inspirou bem fundo e soltou o ar. Olhou para ela.

- Não tenho tempo para isto – disse toda despachada, continuou a andar de um lado para o outro, a dar ordens. E a criticar. A manha passou e foi então que chegaram ao fim da manha uma carrinha que Jade não reconheceu. Um dos empregados que guiava a carrinha começou a tirar o material de som, e Jade suspirou de alívio. Começaram a organizar a mesa do DJ, e as coisas para a banda. Sorriu ao ver que estava a ficar tudo perfeito. Mas a irmã ainda não tinha aparecido ali, e perguntava se porquê. Depois de dar mais umas quantas ordens acabou por ir até casa. A mãe estava a falar ao telefone. Vestia roupa que mais parecia que ia a uma reunião e não que fosse passar um descontraído sábado em casa. Jade beijou a cara da mãe antes de subir as escadas e Nora sorriu-lhe depois voltou a falar ao telefone. Havia empregadas a limpar o pó na sala e a arrumar. Jade subiu as escadas pegando no telemóvel, respondendo a algumas mensagens e voltou a guardar o telemóvel no bolso das jardineiras.

Encontrou a irmão deitada ainda a dormir, debaixo dos lençóis. Suspirou e acabou por se deitar na cama com ela. Paris sentiu alguém a entrar dentro da cama e abriu um pouco os olhos para ver quem era. Jade fechou os olhos. Paris abanou a cabeça e voltou a adormecer, dando espaço para a irmã dormir, se ela assim quisesse. Mas mal tinha passado cinco minutos, Jade já se levantava.

- Não, Paris, não posso dormir! – passou a mão pela cara – E tu também não! – puxou lhe a manta e agarrou a para a tirar da cama – Precisamos de ir ao cabeleireiro! Tu tens que ir! – disse antes que os protestos de Paris se ouvissem – Anda!

 

 


 

O dia foi passando, a tarde chegou, e Bill, Tom, Gustav e Georg chegaram. Viram a casa do lado de fora e o movimento rápido das pessoas que ajeitavam os últimos pormenores. Eles entraram quando Mary foi ter com eles e disse onde estavam os instrumentos e as restantes coisas deles. Bill olhou à sua volta. Parecia tudo perfeito. Tom sentou-se e agarrou na sua Gibson e viu se ela estava afinada. Gustav pegou nas baquetas e excepcionou se tinha colocado a bateria correctamente.

O pessoal começou a chegar e começaram a andar a volta por ali, ao lado da piscina, trincando um rissol, bebendo um fino. O dj tinha já metido a musica a dar, e aqueles que já estavam por ali, enquanto falavam uns com os outros, mexiam se ao ritmo da música com o copo na mão. Memories (impossível ficar parado ao som da musica) saia das colunas exposta pelo longo do jardim. Bill voltou para os amigos e sorriu. A disco ball, enorme e rodava lentamente, estava por cima da mesa do dj, ao lado do palco onde a banda ia actuar. A piscina tinha flores e velas a flutuar por ela, os puffs, tinham alguns casais que preferiam estar mais no seu cantinho. As mesas estavam cheias de comida. E bebida, um grande grupo de rapazes que acabara de chegar dirigia-se para lá, falando de motas, futebol, miúdas. As raparigas estavam mais espalhadas. À quem tivesse, delas, subido para uma das colunas enormes e começado a dançar levando as restantes a dançar perto do palco. Os rapazes foram juntando-se a elas.

Jade, de um vestido vermelho vivo curto, acima do joelho, que não passava despercebido, andava a volta, cumprimentando as pessoas e sorrindo-lhes. Tinha vindo mais gente que estava a espera. Melhor. Um fotógrafo contratado tirava fotos. Trocada dois dedos de conversa e virava se para outra pessoa. Estava feliz e transmitia felicidade. Tom olhava para ela, tal como Georg, ambos com pensamentos iguais sobre Jade. E o que lhe fariam aquele vestido justo e decotado, de costas abertas, com uma racha que deixava um homem maluco. Gustav falava com um grupo de raparigas, estas muito tímidas, trocando risinhos e olhares e ele falava contente, respondendo a perguntas que elas faziam. Bill andava de um lado para o outro. Nervoso. Jade acabou por ir ter com quatro, perto do palco. Tom pôs o seu fantástico sorriso, Georg passou a mão pelo cabelo. Mas Jade não lhes ligou nenhuma.

- Pessoal, estão prontos? Entram daqui a vinte minutos!!! – juntou as mãos e deu um salto com as sandálias novas. Tom juntou-se perto dela, e Georg juntou-se do outro lado.

Tom sorriu-lhe – Nós nascemos prontos, boneca…

Jade sorriu mas um pouco tímida e afastou-se e viu que Georg também estava do outro lado, acabou por escapar para junto de Bill e Gustav que juntou-se ao grupo ali deixando o outro.

- Óptimo, veio mais gente do que estava a espera mas não faz mal. O que interessa é que gostem! – olhou para Gustav, mordeu o lábio enrolando uma madeixa morena no dedo – Olá, eu ainda não sei o teu nome…

Gustav um pouco atrapalhado, com aquele subido interesse pelo seu nome – Gustav?

- Ohh que querido! Gus Gus! – disse Jade, olhando de alto a baixo. Ele ficou mais atrapalhado e olhou para os amigos a pedir ajuda. Tom e Georg olharam chocados para Jade. Ela estava interessada em Gustav em vez de um deles? Jade sorriu para Gustav – Até logo! – acenou-lhe e foi se embora. Gustav ficou primeiro parvo a olhar depois é que sorriu como um perdido, todo convencido. Até ia tocar com mais entusiasmo.

Jade atravessou o jardim até ao sitio onde a irmã acabara de chegar. Depois de meia hora a decidir porque não se limitava a vestir umas calças em vez daquele ridículo vestido curto. Mas fora a irmã que escolhera não Paris. Suspirando acabara por vestir. Mas em vez de estar como a irmã, meteu um lenço a tapar o decote da frente e pregou a racha. Olhou para Jade que acabar por chegar ao seu lado.

- Não exageraste nas pessoas? Pensei que era uma festa só para amigos…

Jade sorriu – E é! Eles são todos meus amigos, não se vê? DIVERTE TE MANINHA– abraçou a irmã,  voltando a dar uma volta pelas pessoas que estavam ali na festa, voltando a trocar dois dedos de conversa. Paris foi até ao bar e agarrou numa bebida azul eléctrica e bebeu tudo de uma vez. Nancy apareceu ao seu lado e estiveram, as duas, a conversar, quando pegavam nas bebidas e sentavam se nos puffs, quando um grupo de rapazes olhava para elas.

 

S.Mille às 12:49
| comentar
:
De shine* a 23 de Outubro de 2010 às 18:22
MAIS MAIS

*.*

PLEASE


Comentar post


novas fic's e re-edições
ACTUAL:

 

free counters