Sábado, 23 de Outubro de 2010

Radical Obsession 7

A banda estava do lado de trás e desejaram boa sorte uns aos outros. Subiram para o palco, quando o dj começava a baixar lentamente a música. A plateia esperava, olhando curiosa para eles. Bill meteu se em frente do microfone e foi iluminado por um foco. As atenções estavam centradas neles. O que se ouviu primeiro foi a bateria. Tom e Georg começaram a tocar concentrados na música e olhavam de vez em quando para o publico quando andavam de um lado para o outro. Bill agarrou no microfone e começou:

- Ich höre alles ist so wichtig, schon klar die anderen machens auch, jaja, ganz genau ist richtig, gruhig, dass ich euch das glaub. Zurück und dann wieder nach vorne. Okey wird schon richtig sein. Bleib stehn, weil du sonst verloren bist! Lauf los aber nicht zu weit! – agarrou no microfone e começou a andar pelo pequeno palco - Mein Kopf ist voll bis oben. Meine Schatten holen mich ein. Ich höre tausend Diagnosen. Jaja, schon klar, egal! – estava agora em frente do publico e cantava com os outros, que o acompanhavam - Heute sind wir hier. Die Welt bleibt vor der Tür. Was jetzt zählt seid ihr. – Tom e Georg aproximaram-se dos microfones e cantaram com ele - Wo sind eure Hände? – voltaram a afastar se e trocaram de posições - Chaos im System. Auch wenn wir untergehen, Ich will euch alle sehn. – Voltaram a repetir com Bill - Wo sind eure Hände? Eure Hände…*

A música continuou e dos puffs, Paris olhava para Bill ali no palco. Sentia se hipnotizada pela imagem dele. Como acontecera à uns tempos atrás, antes de se ter apaixonado por Tyler. Para Paris, Bill tinha sido o centro do mundo, o seu sol. Mas esse “sol” perdera o brilho para ela e acabara por ir para os braços de Tyler. Lembrava se bem do dia. Do dia que também foram marcado por uma tragédia. Quando uma tragédia vem nunca bem só. A sua mente vagueou para algum tempo atrás.

 

Sete meses antes…

Paris saiu de casa e entrou no carro de Nancy que olhou a preocupada. Tinha recebido uma mensagem estranha. Olhou para Paris. Não sabia se havia de dizer mas ela tinha que saber dos rumores que corriam. Não podia ficar na ignorância, visto que era o namorado dela.

- Paris, querida, sei que não devia ser eu a dizer isso…

Paris tinha um sorriso no rosto porque nem desconfiava do que ali vinha – Nancy, directa ao assunto e não enroles. Vá fala!

- Bem, é assim… Recebi uma mensagem, que pensei que era mentira mas depois, depois soube que podia não ser completamente mentira. Descobri que aquilo que a mensagem dizia não passava de um boato porque eu tive a certeza a absoluta que…

Paris interropeu-a – Nancy não enroles rapariga! – disse já farta da palha que a outra estava a dar. Mal Paris calou-se. Nacy disse tudo de uma vez fazendo cair o mundo aos pés de Paris.

- O BILL VAI SER PAI! A Sarah está grávida dele…


***


- COMO FOSTE CAPAZ DE ME FAZER ISTO?! TU ÉS UM PORCO!!!! – disse Paris com as lágrimas a correrem pelo rosto. Atirou-se a ele e começou lhe a bater no peito tanto quando podia cega pela raiva, desilusão. Bill agarrou a pelos braços para ela não lhe bater e tentou mantê-la afastada. Não queria nada que aquilo tivesse acontecido e nem sabia como aquilo tinha acontecido. Mas não valia a pena explicar-se porque nem ele tinha explicação mas Paris não o ia perdoar nunca por aquilo.


***


Chris bateu a porta do quarto da irmã e abriu a porta espreitando para dentro deste. Viu a de costas para si, deitada na cama, embrulhada numa bola humana. Estava assim a dias. Fechou a porta e sentou-se na cama ao lado da irmã. Afastou-lhe o cabelo da cara. Sorriu-lhe.

- Maninha…

Ela fechou os olhos. Não queria falar, não queria ver ninguém. Queria estar sozinha com a sua dor. Só ela e a dor. Só ela e a dor. Só ela e a dor… Repetia para si. Mas Chris ficou com ela ali no quarto. Jade também para junto da irmã e deitou-se com ela. Sentia a dor da irmã e sentia-se mal por não conseguir fazer nada que lhe atenuasse a dor.

Mas quem diria que passados dois dias, voltavam a estar ali deitadas, sem Chris, a chorarem agarradas, depois de virem do enterro do irmão?

 


Bill acabou de cantar e com uma simples batida em vários pratos da bateria, Gustav mudou para outra música e a banda continuou a tocar. Paris acordou dos seus pensamentos passados. Fechou os olhos. Nancy olhou-a.

- Está tudo bem, miúda?

Paris acenou – Sim está… - sentiu o seu telemóvel a vibrar. Agarrou nele e viu uma mensagem de Tyler. Abriu a leu. Olhou para Nany – O Tyler voltou e diz que vai haver nova corrida, esta noite. O Alan convocou para esta noite, foi, pelo que parece, marcada em última hora.

- Mas hoje??? – perguntou Nancy.

Paris não lhe respondeu. Mas ao namorado mandou uma mensagem a perguntar quando é que ele tinha chegado e o porque daquela corrida. Tyler respondeu que estava ali apenas a duas horas e que estava a descansar mas Alan ligara-lhe, não só a ele, mas a todos os corredores, a informar de uma nova corrida. Disse ainda que falavam melhor quando estivessem juntos. Paris suspirou e olhou para Nancy.

- Vamos?

- Claro, depois da festa…. – disse instalando-se melhor com outra bebida nas mãos. Inspirou fundo o ar fresco da noite – Tu ainda pensas nele?

Paris olhou-a, sem perceber realmente de quem ela estava a falar– Em quem?

- No Pai Natal, quem havia de ser?! Estou a falar do Bill… - Paris encolheu os ombros e ficou a olhar para o palco. Era passado a história deles. Agora tinham vidas completamente diferentes um do outro. E ela estava feliz ao lado de Tyler. E pelo que sabia Bill estava sozinho. Perguntou a si, onde andaria a Sarah. Desde que a barriga começara a notar-se nunca mais a vira. Suspirou. Não eram assuntos dela.

A banda continuava a tocar e parecia que estava a ter sucesso, e as pessoas pareciam que estavam a gostar. Jade sentia isso. Ainda bem que estavam a gostar. Estava com medo que a sua festa fosse um fiasco e que não fosse considerada uma das melhores onde as pessoas já participaram. Mas com ajuda deles, a festa estava a ser um sucesso. E alem disso. Tinha que fazer umas investigações a um dos membros do grupo. Sorriu para si. Avançou para junto das amigas e pediu opiniões, e estas foram como música para os ouvidos de Jade.

 

 

__________________________

*Wo Sind Eure Hände - Tokio Hotel

S.Mille às 17:04
| comentar
:
De iogurta; ♥! a 13 de Novembro de 2010 às 21:43
Olá.
Descobri hoje o teu blog. Vou tentar ler a fic toda. :D
Beijinhos (:


De iogurta; ♥! a 13 de Novembro de 2010 às 22:30
Olá, outra vez.
Já li a fic toda e estou a gostar muito.
Aquele corredor misterioso parece-me ser o Bill, mas não tenho a certeza. :/
Coitada da Paris, ela não merecia o que o Bill lhe fez... mas pronto, ela seguiu com a sua vida e ele também tem que seguir com a dele.
Quero mais, por favor.
Beijinhos (:


De S.Mille a 14 de Novembro de 2010 às 16:47
:D olá! obrigada por leres e por gostares xDD fico muito feliz por isso... ^^


De iogurta; ♥! a 14 de Novembro de 2010 às 21:50
Olá.
De nada. E sim, estou mesmo a gostar.
Quando postas o próximo capitulo?
Beijinhos (:


De S.Mille a 24 de Novembro de 2010 às 10:52
hoje... eu 'tou a demorar imenso tempo postar porque tive frequências quase todos os dias e só tinha cabeça para isso... desculpa
:) mas hoje posto...


Comentar post


novas fic's e re-edições
ACTUAL:

 

free counters